sábado, 28 de maio de 2011

AUTO ESTIMA

”Auto-estima”, quantas vezes teremos ouvido essa palavra!

Ainda que a palavra que utilizamos agora seja nova, é um dos preceitos mais antigos da nossa cultura e um dos mais esquecidos. Está presente na sabedoria dos ditos populares como “A caridade bem entendida começa por si próprio” ou nas máximas que tantas vezes ouvimos:
“Ama o próximo como a ti mesmo”.

Porque é que então gostamos tão pouco de nós?
Porque é que nos fazemos tanto mal?

O pior de tudo é que muitas vezes colocamos em primeiro lugar o “bem” dos outros em vez do nosso próprio bem. Mas nenhum bem podemos fazer se vai em detrimento de nós próprios.

Proponho-vos que este seja um ano de auto-estima, que é o mesmo que propor um ano de Amor, mas de Amor bem entendido. Proponho um ano de ser conscientes de cada um dos nossos actos e das verdadeiras razões que nos conduzem a realizá-los.

Um dos grandes males dos nossos tempos é que cada vez há mais pessoas que padecem de falta de auto-estima.

Isto deve-se por um lado, a que a nossa sociedade está muito estereotipada e obriga os seus indivíduos a sugeitarem-se a umas normas de estética, de conduta, de pensamento, etc. e quando sais delas já não és bem visto; então, ou és uma pessoa transgressora por naturezsa ou podes sentir-te mal por não “dares confiança”.

Por outro lado também nos foi ensinado que não fossemos “egoístas”, porque “pensar em si próprio” não está correcto..

Não nos enganemos: ninguém pode dar de um cesto vazio. Quando te dás a ti próprio, estás dando aos outros, porque tu formas parte desses “outros”.

A Vida está cheia de magia, de amor de felicidade, mas a Vida és tu. Cada dia crias a tua própria vida com os teus pensamentos positivos e negativos. Acostuma-te a pensar em positivo; é só uma questão de hábito, e todo o hábito se adquire através da constância.

Tens um pensamento negativo a respeito de ti próprio: muda-o para um positivo. Alguém diz algo desagradável sobre ti: reflete para descobrires se existe algo de verdade nisso e se o podes melhorar, logo muda-o para positivo ou simplesmente esquece-o se estás seguro de que não é verdade. Toma-o como uma disciplina.

Os resultados serão surpreendentes.
A Vida apresentar-se-á a favor; deixarás de nadar em contra-corrente.

Se tu gostares de ti, os outros gostarão de ti e respeitar-te-ão e se não é assim, desaparecerão da tua vida. Não é que devas acreditar nisso porque te digo eu, senão pela Lei da Atração, a lei de que o semelhante atrai o semelhante. Esta lei, como todas as leis, é infalível, como a lei da gravidade.

Vive feliz e em paz contigo próprio, independentemente das tuas circunstâncias.
- Atua com sinceridade com os outros e sobretudo contigo próprio.
- Atua de maneira que se fosses morrer hoje mesmo pudesses fazê-lo sem lamentar nada, sem deixar nada por fazer.

Não esperes os resultados:
o fruto das tuas ações colhem-se dentro, não fora.

Mas recorda que o que se colhe dentro, acaba sempre manifestando-se fora.

Vive o Amor, que há em ti, entrega-te a esse amor e quando for teu poderás dá-lo aos outros.

Louise Hay

Um comentário:

RITA PACHECO disse...

adorei!!!
Seguirei o blog!
bjs
RITA
www.olharesedetalhes.blospot.com